O que é viver a JMJ

A Jornada Mundial da Juventude é um momento ímpar no calendário da Igreja Católica. A oportunidade de um encontro com o Papa, uma reunião de milhares de jovens e outros tantos nem tão jovens assim, para rezar, ouvir e aprender sobre Deus, sobre nossa igreja, sobre as vocações e o Sim de Maria.
No último ano pudemos acompanhar a mobilização de jovens, de quase todas as Capelas de nossa paróquia, nos preparativos para a JMJ. Ao todo, 20 jovens da Guia viajaram de Cuiabá ao Panamá, para viver este momento. Alguns podem se perguntar se todo o esforço desses jovens valeu a pena. Se o apoio, às vezes financeiro, ofertado pelas Capelas, foi bem aproveitado.
Quer saber o que é viver a Jornada Mundial da Juventude? Qual a emoção, como foi a experiência, e o que os jovens que foram sentiram de viver este momento? O que mudou para cada um deles?

Leia abaixo os depoimentos emocionantes dos nossos jovens jornadistas:

Primeiramente agradeço a oportunidade de testemunhar o que vivenciei nessa Jornada Mundial da Juventude 2019. Agradeço também a minha comunidade Madre Mazarello, a minha família e aos meus amigos que me ajudaram a realizar esse sonho. A JMJ foi um intenso retiro espiritual, uma formação humana e uma inserção cultural na vida de outros jovens do mundo mostrando o respeito, diálogo e fraternidade. Foi um momento lindo pessoas de diversos lugares rezavam intercedendo pelo mundo, especialmente os injustiçados e aquelas pessoas que precisam conhecer a pessoa de Jesus Cristo. O Papa Francisco, insistiu em nos ensinar que devemos dizer sim a Deus como Maria, nos desafiou e apresentou a proposta de fazer a diferença em um mundo tão de acordo com a indiferença e o desamor. O Papa mostrou que é possível a juventude que é o presente da igreja, provocar uma “Revolução do amor” mostrar a face de Deus para aqueles que não conseguem enxergar o plano de salvação que Deus tem a cada um de nós. Eu particularmente voltei com uma nova visão do que é ser igreja, do que é ser cristão católico e gostaria de transmitir essa alegria, essa alegria que é genuína e não passa, pois tudo passa somente Deus não passa. Um grande abraço e minhas orações. Erick Alexandre – Comunidade Madre Mazarello.

Uma experiência única e inesquecível, onde pude provar do verdadeiro amor de Cristo e partilhá-lo com meus irmãos do mundo todo, onde aprendi que Deus não está só na igreja, mas sim em todos os lugares, inclusive na recepção do hotel, na qual o padre celebrava missa todos os dias, onde mesmo cansado andava por quilômetros para ver e ouvir o que o papa tinha a dizer.
De lá voltei com minha fé fortalecida e mais motivado a servir a Deus e trouxe comigo bons momentos, lembranças e, principalmente, muitas amizades. Matheus – Sant’Ana e São Joaquim.

A JMJ para mim como coordenadora sempre é uma experiência única e diferente uma da outra. Sempre me surpreendo com os jovens pois eles são surpreendente e aprendo com eles e posso ensinar também,  sempre tem 1 ou 3 que se sai como se fosse  uma mágica, é uma pessoa quieta aqui em Cuiabá e lá brilha, sabe. É incrível isso, talvez isso faça com que eu ainda esteja como coordenadora.
E olhar nos olhos de um jovem e poder ver que Jesus existe dentro de cada um deles, porque a JMJ não é para um jovem fraco, é para uma pessoa que realmente busca a essência de estar perto de Deus.
Porque lá vemos a verdadeira vivência, choramos, sentimos falta de casa, do colo da mãe.
Mas aprende a sobreviver com muita fé, muita oração e também sobreviver as diferencia entre os irmãos e sai amigos com experiência com verdadeira vivência em Cristo Jesus.
Por isso ainda sou coordenadora JMJ. Adilza Silva – Coordenadora Paroquial da JMJ.

A JMJ para mim é fazer o que Deus pede, que apoiar as decisões da minha esposa e meu amor, para que nos sejamos plenamente realizados dos desígnios de Deus. Edni Silva – Coordenador Paroquial da JMJ.

A vivência da JMJ começou desde a espiritualização e senti crescer a expectativa pela mesma. Cada encontro era um aprendizado para viver e conviver. A JMJ é um momento de partilha, toda indiferença e cansaço deixam de existir. Quem acompanha pela televisão não tem tamanha noção. Ver aquela multidão de jovens reunida por um mesmo objetivo foi uma das coisas mais incríveis em que pude participar em toda a minha vida! Com toda certeza, eu levarei comigo todos os aprendizados que a jornada me proporcionou. Caroline Padilha de Oliveira Baía – São Mateus.

A JMJ foi uma experiência incrível, onde tive a oportunidade de sentir Deus agindo em vários momentos. Aprendi muito sobre os salesianos (que pra mim é um mundo novo), tive a experiência de ouvir de perto o Papa, o Reitor Mor, a Madre Geral das filhas de Maria Auxiliadora, as catequeses que foram ótimas e muito esclarecedoras, a vigília foi linda e a mensagem do Papa chamando o Jovem a servir e utilizando o exemplo de Dom Bosco foi um incentivo a mais pra minha caminhada. Camila Rafaela O. A. de Moraes – Nossa Senhora da Guia.

A minha primeira Jornada Mundial da Juventude foi uma experiência maravilhosa, uma verdadeira renovação de fé, onde vem gente de toda parte do mundo, não somente jovens, mas também crianças e idosos.
Sou grata a Deus por ter permitido que eu com a minha dificuldade, superasse todos os obstáculos e vivesse grandes momentos de oração junto ao Santo Papa Francisco, onde pude vê-lo de perto.
Agradeço minha comunidade, Nossa Senhora de Fátima, a todos do meu grupo, que em nenhum momento me largou pra trás, onde mantemos unidos como irmãos em Cristo, as sábias palavras do padre Luiz Molento diariamente.
Tudo isso fez com que me apegasse mais a Nossa Senhora e compreendesse o seu SIM ao chamado de Deus. Ângela Moraes – Nossa Senhora de Fátima.

Mais uma experiência incrível para ficar guardado na caixinha das melhores lembranças! Cada jornada é uma surpresa diferente, cada uma te marca de um jeito.
Estive na JMJ Rio em 2013, foi maravilhoso. Agora em 2019, na minha segunda jornada, fui ao Panamá em busca de algo novo, algo que renovasse mais a minha Fé. E lá estava Deus agindo em pequenas coisas.
Por muitos instantes me peguei pensativa observando o que acontecendo ao redor. Parece coisa de louco, pessoas de diversos cantos do mundo, línguas diferentes, culturas distintas e o objetivo era um só, Deus!
Me perguntava, como conseguimos entender uns aos outros? A linguagem usada, para mim nesses momentos, era o Espírito Santo.
Também tive mais uma vez a benção de ‘reencontrar’ o Papa, meu Chiquinho como eu sempre o grito (risos). Participar dos principais encontros, missas e a vigília com ele, pudemos ouvir palavras cheias de sabedoria e amor.
Tivemos o momento do Encontro Mundial dos Salesiano, que pra mim é um orgulho fazer parte da família Salesiana desde que nasci. Estive bem perto do Sucessor de Dom Bosco o Reitor-Mor Pe. Angel Fernández e da Madre-geral das FMA Yvonne. É grande a emoção.
E já nos dias finais, participamos da grande festa em comemoração a Dom Bosco, no dia 31/01, uma grande procissão pelas ruas da cidade do Panamá com a Urna da Relíquia de Dom Bosco à frente dos bispos e o próprio Pe. Angel seguidos da população e finalizando com a missa presidida pelo Reitor-Mor na Catedral de Dom Bosco.
É bem difícil resumir tudo em poucas palavras, porque foram viários momento vividos intensamente com muitas bênçãos e sentindo verdadeiramente a presença de Deus e Nossa Senhora. Hoje me sinto renovada na fé, compreendendo melhor algumas coisas e quero ser mais e mais como Maria, o SIM que Ela deu, também quero dar todos os dias: ‘Eis aqui a serva do Senhor! Faça-se em mim segundo a tua palavra’ – o tema da JMJ 2019.
Gratidão a Deus e Nossa Senhora por cuidarem tão bem de mim e da minha família.
Obrigada família Salesiana, obrigada Paróquia Nossa Senhora da Guia e muito Obrigada Pe. Scotti pelo seu cuidado com todos os jovens. Iasmim Oliveira – Paróquia Nossa Sra. da Guia.

Logo nas primeiras espiritualizações em preparação para a jornada foi comentado que nós não iríamos para turismo e sim para a jornada. Que iríamos andar em muito e escutar a palavra de Deus. E teve um momento, que nós estávamos voltando da vigília, de tanto calor que estava que eu comecei da passar mal e eu tive o pensamento positivo de que conseguiria chegar até um mercado e faltava poucos metros para chegarmos e escutamos que teríamos ônibus que não precisaríamos pagar nada para irmos até um local mais próximo do alojamento e isso para mim parece que foi Deus que mandou aquela ajuda para nós. Amanda Caroline – Santa Cruz.

Minha primeira jornada e espero que não seja a última, só me deixou mais com sede da próxima. Essa experiencia que tive foi mais que incrível, totalmente nova e renovadora que nos transforma. Voltei para casa com vontade de fazer mais, mais pelos outros, mais pela igreja, por minha comunidade. Não posso esquecer que conviver com uma cultura diferente foi muito, um conhecimento a mais, que nos traz para casa um pouco mais amadurecidos e pelo menos pra mim mais confiante. É uma família nova onde uns lutam e protegem os outros, com muito amor e carinho. Amizades formada que pretendendo levar pra vida toda.
O que essa jornada significou pra mim uma renovação na fé. E com sede da próxima. Amanda – Laura Vicuña.

Esta foi minha terceira Jornada Mundial da Juventude (de muitas que ainda pretendo participar, se Deus quiser). A cada Jornada o encanto e a vontade de mudar o que há em mim e o que há ao meu redor é maior, o desejo de mostrar a todos o quanto a fé é um mecanismo capaz de unir pessoas e mudar o mundo para melhor, essa união pode ser percebida na própria JMJ, como é lindo ver pessoas do mundo inteiro unidas naquele evento por um só Deus, uma só fé! Esta JMJ também nos trouxe pra mais perto de Maria, nossa Mãe, e mais dispostos a seguir o exemplo dela, de sempre dizer sim a Deus e entregar nossas vidas a Ele, “Eis aqui a serva do Senhor, faça-se em mim segundo a Tua palavra” (Lc 1,48). Foi mais uma Jornada com o Papa Francisco, um grande exemplo de ser humano, que sabe usar as palavras certas para nos tocar, e parece falar exatamente aquilo que precisamos ouvir, nos fortalecendo na fé e humanidade.
Só tenho a agradecer a Deus por mais esta JMJ, sei que eu não estava ali por acaso, e sim porque Deus tem planos para mim, agradeço por tudo, pelas coisas boas e até pelas coisas ruins que aconteceram, pois serviram de aprendizado para as próximas Jornadas. Obrigada meu Deus, por tudo! Pauline – Santa Rita.

Acesse o álbum da JMJ.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.